Estocolmo e Helsinki encantam a delegação

IMG-20151006-WA0007

A chegada a belíssima cidade de Estocolmo foi marcada por um completo tour pelos principais pontos de arquitetura e históricos da cidade. Esse primeiro momento contribuiu muito para a integração e melhor compreensão da cidade.

No segundo dia, a delegação foi visitar a Svensk Form (faculdade de design mais antiga do mundo, que completou 170 anos). A diretora Eva Kumlib, que morou 10 anos no Brasil, recepcionou a todos. Ao lado da faculdade existe um museu, que no dia 3 de outubro inaugurou uma exposição com várias instalações do artista Olafur Eliasson. O grupo do Polo pôde conferir essas instalações em primeira mão.

“O interessante foi ver o número de pessoas que, em plena terça-feira, estavam visitando essa exposição e, mais ainda, o número de excursões de escolas com crianças, que tinham no máximo quatro anos. Incrível como eles valorizam a cultura e a arte.” Comentou a diretora de marketing do Polo Design Center e da A Especialista, Érica Lorca.

O grupo visitou, ainda, um castelo e também conheceram o lado “antigo” da cidade. Após esse intenso roteiro em Estocolmo, o grupo partiu de navio para a Finlândia. “Esse traslado foi uma experiência totalmente diferente. Pudemos aproveitar o tempo para compartilhar informações e apreciar uma paisagem linda e com temperatura abaixo de zero”, completa Érica.

Já em Helsinki, os profissionais visitaram o escritório do arquiteto Alvar Aalto, além de andar pelos principais pontos de design e arquitetura dessa cidade. Grande nome do design, Alvar Aalto encanta até hoje os profissionais do mundo todo pela beleza e leveza das suas criações.

Uma igreja esculpida em uma pedra gigante, com intervenções em cobre e vidro para a construção da cobertura, chamou a atenção de todos.

No retorno à Estocolmo, o grupo seguiu com a visita ao Vasa – um museu histórico temático, que exibe o navio Vasa. Um navio de guerra sueco, do início do século XVII, afundado quando deixava o porto em sua primeira viagem, o que causou uma comoção nacional à época. Depois de 333 anos debaixo de água, foi recuperado e tornado acessível. Atualmente é o museu mais visitado dos Países Escandinavos.

O Vasa
Construído por determinação do Rei Gustavo Adolfo II da Suécia, com o desafio de se constituir no mais potente navio de guerra de seu tempo, os seus três mastros principais elevavam-se a mais de 50 metros de altura, suportando uma dezena de velas. Estava equipado com 64 peças de artilharia de diversos calibres, magnificamente decorado com esculturas entalhadas em madeira. A sua tripulação era de 400 homens.
No dia 10 de agosto de 1628, poucos minutos após ter soltado ferros para a sua viagem inaugural, completamente carregado, uma rajada de vento fez o navio inclinar para esquerda, deixando entrar água pelas portas de arma inferiores, causando o seu naufrágio ainda no porto, um acidente que envergonhou o País.

O achado arqueológico submarino
Trezentos e trinta e três anos mais tarde, na década de 1950, o navio foi encontrado imerso no lodo do fundo do porto, que teve a virtude de conservar relativamente intacta a estrutura da embarcação.
Iniciou-se, assim, um dos mais importantes trabalhos de resgate e restauração do nosso tempo, apresentado ao público em um museu histórico temático, onde os visitantes podem observar os diversos aspectos construtivos e de resgate, limpeza, preservação e restauração da embarcação, assim como aspectos da vida cotidiana da Suécia no início do século XVII.

Fonte: Blog Polo Design Center

12106915_729807300496789_368651031925609586_n IMG-20151006-WA0005 IMG-20151007-WA0005 IMG-20151007-WA0009 IMG-20151007-WA0018

404